Mulher fazendo pilates

A cada ano que se inicia, promessas das mais variadas surgem, inclusive aquelas relacionadas à atividade física. Não é muito difícil ouvirmos “este ano eu começo a fazer academia” e, diante de tantas opções oferecidas, para todos os gostos, diga-se, é comum as pessoas terem dúvidas em qual escolher. Uma das frequentes interrogações é a respeito do que diferencia e no que se assemelha a musculação do Pilates.

Apesar de terem uma metodologia e linha de trabalho diferentes, ambas podem promover a melhoria da postura e do equilíbrio muscular. Ainda, não existe uma condição dizendo que quem faz Pilates não pode fazer musculação e vice-versa. Pelo contrário, um pode complementar o trabalho realizado pelo outro na medida em que acionam camadas musculares diferentes do nosso corpo.

Na musculação, o foco são os músculos mais superficiais, chamados de mobilizadores, sendo estes responsáveis pelos movimentos de grande amplitude, como o agachamento e a flexão de braços. Dentre os objetivos do treino estão, por exemplo, o aumento de força e resistência muscular. Inclusive, por ter como característica este trabalho superficial, os resultados estéticos tendem a aparecer mais rápido para aqueles que são adeptos.

O método desenvolvido por Joseph Pilates ativa a musculatura mais profunda, como o transverso do abdome, multifídios e todos os músculos que envolvem as articulações (estabilizadores), depois age na musculatura mais externa. Esses músculos mais internos são fundamentais para a constituição de uma estrutura forte e livre de lesões.

A ênfase dada ao abdome e aos músculos lombares torna a técnica excelente para quem deseja uma barriga consistente e se ver longe de dores nas costas. O aluno, também, consegue definir a musculatura, sem aumentar o seu volume, ou seja, o foco do Pilates não é hipertrofia. Diferentemente da musculação, o resultado do Pilates não está estritamente relacionado ao número de repetições. Pelo contrário, é priorizada a qualidade do movimento.

Naturalmente, ambas as práticas trazem benefícios ao corpo e geram bem-estar, além de se serem indicadas para auxiliar na performance de esportes como corrida, ciclismo e natação.  Agora, se você está interessado em saber se o Pilates é melhor ou não que a musculação, saiba que é impossível fazer qualquer afirmação deste gênero, uma vez que não existe um exercício melhor do que o outro.

Há, sim, aquele que é mais indicado para o seu perfil e que irá auxiliá-lo a atingir os objetivos desejados. Assim, a pergunta é: “por que você está se matriculando na academia?” e ao respondê-la, certamente, o professor ou personal trainer irá orientá-lo corretamente sobre qual modalidade é a mais aconselhada.

Fonte: Ativo.com